Imprimir
Maria F

Maria F. Felix Rosar

Univ de Maranháo. Brasil

 

 

Em relação a esse tema, parece-nos que seria mais acertado falarmos das historiografias latinoamericanas e suas aproximações e distanciamentos Esta proposição se deve ao fato de que em diferentes momentos da história do continente americano, os países da América Latina estiveram desenvolvendo projetos semelhantes de pesquisa histórica.

No passado, digamos ha trés décadas atras, poder-se-ia identificar uma certa tendéncia geral de produção historiografica numa vertente marxista, sem que no entanto tivesse deixado de existir uma historiografia resultante de um pensamento conservador e reacionario que deu suporte ideológico para a implantação dos diversos regimes ditatoriais. Na atualidade, a tensão entre o polo conservador e o polo pmgressista parece se diluir na medida em que se da uma multiplicação de vertentes num e no outro campo (da direita e da esquerda).

Essa situação podera ser considerada, por um lado como enriquecedora para a produção historiográfica, uma vez que se expandem as temáticas. os objetos de investigação e os métodos de análise, Entretanto, por outro lado, sabe-se que uma certa diluição do método do materialismo histórico-dialético por exemplo tem produzido resultados de pesquisa que não compreendem o mesmo teor de densidade e consisténcia desejável para a construção de uma perspectiva de superação dos atuais limites da nossa história.

Pergunta-se se esta constatação pode ser feita também em termos da produção historiográfica dos países europeus.