Aniversario


Ha muerto Gunder Frank


Olá, Carlos e amigos da USC.
 
Agora, aqui da perspectiva brasílica, sinto como uma grande e especial sorte haver podido desfrutar da congressual presença, no III HaD 2004, do professor André Gunder Frank, cientista que ao longo da sua vida já nos dera outros muitos sentidos teóricos e mundiais desde aquelas canções juvenis "por la Unidad Latinoamericana".
 
Muito poderia porém fazer ele ainda, apesar de que a sua foi uma geração vencedora.
 
O peso da sua ausência amargura a felicidade de haver paqrtilhado daquela sóbria e bem-humorada presença em Compostela.
 
Envio como mais um "colofón possível" este cântico abaixo que sei era dele também.
 
Com abraço manauara de
 
Júlio Rocha
Doutor Universidade A Coruña

 
Canción por la Unidad Latinoamericana
 
El nacimiento de un mundo
Se aplazó por un momento
Fue un breve lapso del tiempo
Del universo un segundo
 
Sin embargo parecía
Que todo se iba a acabar
Con la distancia mortal
Que separó nuestras vidas
 
Realizavan la labor
De desunir nossas mãos
E fazer com que os irmãos
Se mirassem com temor
 
Cuando pasaron los años
Se acumularam rancores
Se olvidaran los amores
Parecíamos estraños
 
Que distância tão sofrida
Que mundo tão separado
Jamás se hubiera encontrado
Sin aportar nuevas vidas
 
E quem garante que a História
É carroça abandonada
Numa beira de estrada
Ou numa estação inglória?
 
A História é um carro alegre
Cheio de um povo contente
Que atropela indiferente
Todo aquele que a negue
 
É um trem riscando trilhos
Abrindo novos espaços
Acenando muitos braços
Balançando nossos filhos
 
Lo que brilla con luz propia
Nadie lo puede apagar
Su brillo puede alcanzar
La oscuridad de otras costas
 
Quem vai impedir que a chama
Saia iluminando o cenário
Saia incendiando o plenário
Saia inventando outra trama?
 
Quem vai evitar que os ventos
Batam portas mal fechadas
Revirem terras mal socadas
E espalhem nossos lamentos?
 
E enfim quem paga o pesar
Do tempo que se gastou
De las vidas que costó
De las que puede costar?
 
Já foi lançada uma estrela
Pra quem souber enxergar
Pra quem quiser alcançar
E andar abraçado nela
 
Já foi lançada uma estrela
Pra quem souber enxergar
Pra quem quiser alcançar
E andar abraçado nela
 
[Pablo Milanés. Versão de Chico Buarque de 1978, centro do viver de Gunder Frank.]