Imprimir
III Congreso Internacional Historia a Debate Santiago de Compostela

III Congreso Internacional Historia a Debate
Santiago de Compostela, 14-18 de julio de 2004


Memoria histórica activa


Tema IV. 5. Memoria histórica activa

Nilson Alves de Moraes (Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro)
Memória e Saúde- Sentidos em Disputas

A segunda� metade do século XX foi marcada por intensa revisão das teorias sociais valorizadas academicamente, mudanças comportamentais e relacionais, que orientaram gerações. A memória Social foi reclamada e utilizada como técnica de produção de conhecimento e como forma de produção do saber. A memória Social possibilita a multiplicação de significados e estratégia para consolidar ou constituir identidades e expectativas diante da intensidade e velocidade de mudanças que atingiam o projeto moderno e o esgotava o novo. A memória aprofunda um novo campo do conhecimento em que se inscreve como parte fundante. A natureza da memória é interdisciplinar, se revela estratégica na construção da realidade, identidade cultural e patrimônio local. A memória social se constitui num jogo de tensões, símbolos, discursos, representações sociais em disputa de poder. A memória social possui e considera as permanências e rupturas que viabilizam novos padrões relacionais e discursivos. A memória social é um fator de mobilização e de produção de significados. A memória se constitui um conjunto de percepções e representações, quepermite a compreensão da espacialidade da vida social, como elemento fundamental para a estruturação desse espaço e sua valorização diferencial. Demonstramos que a memória é produzida como intervenção intelectual sistemática, constitui e elabora uma estratégia projetiva. Mais importante, ela se constitui no presente e o transforma ou o reelabora segundo as lógicas e recursos em disputas e em processos em desenvolvimento, mesmo quando referida à História. Memória é um esforço organizado de intervenção na própria conjuntura, portanto implicando em intencionalidade, sobre o modo de constituição simbólica, relacional e discursiva de realidades através do Estado, movimentos sociais, saberes institucionais ou não e interesses socio-econômicos Nosso trabalho refere-se ao estudo dos discursos de saúde e memória social nos jornais brasileiro ao longo do Governo Lula,que se iniciou no dia 01 de Janeiro de 2003 no Brasil. A Revisão teórico-metodológica demonstra a diversidade do campo e exige uma
vigoros crítica para enfrentar os desafios intelectuais e sociais colocados pela conjuntura.

Esta web utiliza cookies propias y de terceros para su correcto funcionamiento y para fines analíticos. Contiene enlaces a sitios web de terceros con políticas de privacidad ajenas que podrás aceptar o no cuando accedas a ellos. Al hacer clic en el botón Aceptar, acepta el uso de estas tecnologías y el procesamiento de tus datos para estos propósitos. Ver Política de cookies
Privacidad