Imprimir
Rio de Janeiro, 5 de maio de 1999

Tema 1

Carlos Fico

Universidade Federal do Rio de Janeiro

"A profissionalizao da Histria no Brasil: um fenmeno recente"

RESUMO:

A profissionalizao da Histria no Brasil um fenmeno recente, pois at meados do sculo XX era bastante pequena a prtica da pesquisa histrica. Hoje nota-se, no pas, uma considervel produtividade na rea de Histria, o que sugere que as ltimas dcadas foram decisivas para a configurao do atual patamar. A presente comunicao, num primeiro momento, procurar demonstrar o papel altamente significativo da implantao dos programas de ps-graduao em Histria, desde os anos 1970, nesse processo de consolidao da Histria. Do mesmo modo, buscar evidenciar a evoluo da produo histrica nos anos 1980, fase que pode ser considerada como de efetiva profissionalizao do historiador brasileiro, vale dizer, sua configurao como especialista afinado com tendncias internacionais, capaz de manejar teorias, mtodos e tcnicas atuais, integrando um mercado de contnua produo de trabalhos reconhecidos como relevantes pela comunidade cientfica e por outros setores, como a mdia especializada.

Num segundo momento, a comunicao buscar sublinhar traos da atual produo histrica brasileira, discutindo-os luz da chamada "crise da Histria" e tentando detectar os caminhos de superao da mencionada crise pelos historiadores brasileiros. Portanto, algumas das principais caractersticas da Histria que se pratica hoje no Brasil sero sumariadas e discutidas, a saber: (a) diluio das abordagens metodolgicas estritas e o surgimento de pesquisas que no so exclusivamente de Histria Social, Histria Poltica ou Histria Econmica, mas que num possvel esforo de renovao situam-se em reas de fronteira; (b) "crise de identidade do ofcio do historiador", isto , uma certa pulverizao das especialidades tradicionais e uma conseqente multiplicao de objetos que dificultariam tanto a percepo de uma unidade terico-conceitual da disciplina quanto a identificao de uma pragmtica metodolgica do ofcio; (c) ceticismo quanto s teorizaes totalizantes, a opo por objetos discretos e a busca por equacionamentos conceituais ad hoc, traos que definiriam a maioria dos trabalhos e que esto bastante correlacionados com as crticas provenientes da lingstica, filosofia e teoria literria acerca da impossibilidade gnoseolgica de referncia ao real; (d) persistncia da crena no poder das fontes documentais de serem "vestgios" que permitem acesso ao real o que sugere uma contradio/tenso com o aspecto anterior; (e) evoluo dos temas e especialidades: surgimento de novos temas, abandono de enfoques tradicionais, tentativas de renovao de tendncias (como a Histria Poltica).